Não, nada do que eu disse no título é verdade. Bom, acho que Kings of Leon no Planeta Terra e Weezer no SWU vão rolar mesmo, e foi isso que me fez escrever esse post.

Eu odeio festival.

Você fica mais ou menos 14 horas de pé, correndo de um lado para o outro atrás de seus artistas favoritos e sai de lá sem ver nenhum show de verdade. O que você presencia em festivais são pocket shows dos artistas, demonstrações do que eles poderiam fazer de verdade num palco só deles. Os organizadores cobram 200, 300 reais pelo ingresso e você assiste shows de 30 minutos à uma hora da maioria dos artistas e um show um pouco maior dos headliners.

No último Lollapalooza os Arctic Monkeys, headliners que iriam fechar o festival, tocaram somente por uma hora. Achei um absurdo. Qualquer show deles sozinhos duraria no mínimo duas horas. Eu estava tentado a ir só para vê-los, não me importava com mais nada do festival, e fiquei bem mais tranquilo de não ter ido ao ver que acabou sendo mais um pocket show.

Fui ao SWU de 2010 para assistir Regina Spektor e, apesar de ter adorado o show, achei que não valeu a pena. Público morno que não a conhecia, área vip idiota que nos jogava lá pra trás e show ao ar livre – que não é compatível com seu estilo musical mais intimista – fizeram com que uma grande artista soasse fraca. Parecia que estava faltando algo. E na Argentina, logo ao lado, ela faz um show num teatro que deve ter sido maravilhoso. Esse sim eu fiquei triste de ter perdido.

Não entendo como eles conseguem levar tanto artista para tocar sozinho na Argentina e aqui no Brasil a gente só consiga juntá-los em péssimos festivais. O jeito brasileiro deve ser mais lucrativo, é a única explicação.

“Se dá mais dinheiro pouco importa o que é melhor para o público, xuxa um tanto de artista junto num festival cansativo e cobra caro. Esse bando de Hipster brasileiro enche tudo mesmo.”- Provavelmente é assim que eles pensam.

O pior é que todo mundo realmente vai. Mas não é porque ama festival ou conhece todas as bandas. É porque cada pessoa quer ver uma coisa específica que, sem o tal do festival, nunca conseguiria assistir. Imagino que era um dos poucos que queria ouvir Regina Spektor em 2010. Acho que todo mundo esperava Dave Matthews Band e Kings of Leon e, em partes, foi bom pra mim que o SWU a contratou para o festival. Senão nunca iria vê-la tocar ao vivo.

Claro que um show menor, num teatro, seria bem melhor, mas fazer o que? Não sou o dono do mundo. Se o fosse, teria show da Regina Spektor todo dia. Na minha casa. Na minha cama (RISOS, brincadeira Renata te amo).

O show mais legal que assisti na vida foi na sorte. Acho que uma empresa quase me passou a perna e acabou dando tudo certo. Comprei de uma agência de viagens para shows um pacote para o TIM festival de 2005, que tinha Strokes e Kings of Leon no meio de suas bandas. Fui junto de dois amigos e pagamos a viagem de três vezes sem juros, dando cheques de nossas mães para a agência. Eles coletaram o dinheiro, mas acho que os ingressos se esgotaram. Por sorte, Strokes e Kings Of Leon concordaram em fazer um show extra e a agência conseguiu comprar as entradas para ele. Fomos de van, acho que sem os papéis necessários, pois no meio da viagem a organizadora disse que se fossemos parados pela polícia era para dizermos que estávamos indo visitar parentes, ou algo do tipo, em Minas Gerais mesmo (o show era no Rio).

Quando lá chegamos o show era em um luar super pequeno, cabiam 4000 pessoas e as duas bandas, Kings of Leon e Strokes, fizeram ótimas apresentações de duas horas cada. Fiquei perto da grade. Foi demais.

Anúncios