Não é um jogo revolucionário (nenhum FPS o é), mas Gotham City Impostors tem algo que me faz querer jogá-lo. Talvez seja porque ele não se leva tão a sério, com personagens e armas esdrúxulos, ou talvez seja porque os jogadores de Gotham City impostors sejam mais tranquilos, para dizer o mínimo. Explico.

Sou péssimo nesse tipo de jogo (FPS), fui jogar Battlefield 3 na PSN e não consegui acertar um tiro. Desisti. Não curto muito esses jogadores bitolados com seus jogos, quero me divertir, dar tiros a esmo, morrer de maneira idiota. Não jogo a sério, e acho que o GCI (vou abreviar, pois não aguento mais escrever Gotham City Impostors) foi feito para jogadores com o meu perfil.

Pra você que viu o Batman – Cavaleiro das Trevas, é mais fácil de explicar o porquê do jogo. Os personagens são aqueles carinhas do começo do filme que se vestiam de Batman para tentar lutar contra o crime. Você controla um desses impostores para matar outros impostores vestidos de Coringa, ou vice-versa. É o Counter Strike do Batman.

O legal do GCI é que você pode disputar partidas em diversas categorias que vão de roubar bandeira até simples “quem ficar vivo por último vence”. Além disso, eles dão muitas opções de edição do seu personagem, com a disponibilização de armas diversas, como espadas, rifles, machados, bazucas; características físicas, como: rápido e frágil, lento e difícil de matar; e outras funcionalidades como: recuperar a energia mais rapidamente, não ser detectado em radar, usar uma poção de ninja pra ficar invisível.

Eu utilizo um corpo rápido, uma espada, a poção de ficar invisível e a característica de não se visualizado em radares. Saio cortando o pessoal desavisado. É muito divertido. Jogo a versão para PS3 que veio de graça na Playstation Plus nesse mês. FAÇA A PLAYSTATION PLUS. É legal.

Anúncios