Esqueci de postar à noite novamente, mas dessa vez foi meio que de propósito.

Agora estou postando de manhãzinha (são 7:25 da manhã horário de brasólia) pelo celular.

Deus abençoe a tecnologia.

Ontem fui ao dentista, pois segunda-feira passada enquanto escovávamos os dentes – Renata e eu – ela viu uma cárie gigante no meu dente.

– Michael, você está com uma cárie horrível no dente. – Ela disse.

– O que? Como assim? – Respondi perplexo.

– Uma cárie gigante. No dente de cima, no cantinho direito. Olha, tem até um buraquinho ali.

– Nossa, é verdade. Que estranho.

– Estranho nada. Você não cuida desses dentes direito. Dá nisso.

– Ué, eu cuido dos meus dentes sim.

– Cuida nada. É exatamente por não cuidar dos seus dentes que esse aí está podre. Nós vamos marcar um dentista hoje.

Não consegui dizer mais nada. Só conseguia pensar:

“Puta merda, meu dente está podre. Realmente tem um negócio ali. Mas que merda. Nem está doendo nem nada. Quando algo está errado o corpo não avisa? Esse meu dente idiota não falou nada.

Agora vou ter que fazer canal. Nem sei o que é canal, mas sei que envolve dor e injeções. E se o canal não adiantar? Será que posso perder o dente? Um dente postiço é caro?

Eu boto a culpa disso no sistema de água de BH. Eles não jogam fluor na água pra previnir esse tipo de coisa? Vou ligar para lá e pedir para aumentarem a dose.

Na verdade a culpa é minha mesmo. Não cuido direito dos meus dentes. Tenho que escovar melhor e passar fio dental.”

E fiquei nisso a semana inteira. Até tinha pesadelos com o dente caindo. Acordava de madrugada, suado, gritando “dente”.

Chegou o dia de ir no dentista, só conseguimos marcar para essa terça (ontem no caso).

Entrei primeiro, já com medo do que a mulher iria dizer. A Renata ficou para trás, foi achar uma vaga para estacionar o carro.

A dentista, chamada Beth, me pediu para deitar na cadeira, abrir a boca e começou a olhar. Depois de alguns minutos disse:

– Seus dentes estão ótimos. Só tem um pouco de tártaro.

– Ah, que bom. A Renata achou que eu estava com uma cárie.

– Não vi nada. Mas acho bom fazer uma limpeza e depois checar por cáries.

– Tudo bem.

Nesse momento a Renata chegou. Já foi perguntando:

– E aí? Como estão os dentes dele?

– Estão ótimos – disse a dentista. – Só preciso fazer uma limpeza.

– Mas eu vi uma cárie gigante no canto superior direito.

– É uma obturação – ela disse, salvando o dia.

Foi uma vitória do relaxamento contra a paranóia.

Nunca mais escovo os dentes na vida.

Anúncios