Num desses textos anteriores, falava sobre como não gosto de ficar a madrugada inteira em festas. E o motivo para o texto era que tinha uma festa para ir no sábado. A formatura de um amigo meu.

E lá fomos nós para a tal formatura.
Foi bem divertido, comemos e bebemos bastante, dançamos Gangnam Style e ficamos lá até as 4 da manhã.

Pegamos um táxi de volta pra casa e, ao chegarmos na entrada, vimos que a porta da frente fora arrombada.

Fomos roubados, pensei.

Ao entrar na casa minha cachorrinha (a mesma do post de alguns dias atrás) apareceu, toda ensanguentada, chorando.

Esse filho da puta machucou minha cachorrinha, pensei.

Peguei ela no colo e estava me direcionando ao banheiro quando vi um corpo no chão.

Era de um homem alto, encapuzado. Um ladrão. O ladrão que havia arrombado a porta.

Chequei seu corpo e vi que ele estava morto. Olhando mais detalhadamente, vi que a causa da sua morte foram mordidas no pescoço. Juntei os fatos e cheguei à conclusão. Minha cachorrinha matou um cara.

Levei-a ao banheiro e a limpei. Ela não estava machucada. O sangue era todo do bandido.

Fiz o que qualquer um faria nessa situação. Liguei para a marinha, pedi para prepararem meu barco, cortei o bandido em vários pedaços, coloquei-o em sacos plásticos, fui para o meio do oceano e joguei o corpo dele lá.

Você acha que eu deixaria minha cachorrinha ir para a cadeia?

Anúncios